Menu
Atualizado em 10/08/2018 às 07h20

Mesmo após queda de 11% em 2017, polícia do AP é a 2ª que mais mata no Brasil

Dados do 12º Anuário de Segurança Pública mostram que mortes por intervenções policiais caíram de 58 em 2016 para 52 em 2017. Estudo aponta ainda aumento de homicídios e redução de estupros. Em 2017, anuário apontou 53 mortes por policiais no Amapá Jorge Abreu/G1 Após ser o estado com a maior taxa de letalidade policial em 2016, o Amapá perdeu no ano passado o posto da "polícia que mais mata no Brasil", segundo dados da 12ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que comparou os registros no período. A redução de casos entre 2017 e o ano anterior foi de 11,9%. O estudo divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) na quinta-feira (9) apontou no Amapá uma taxa de 6,6 mortes a cada grupo de 100 mil habitantes, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro, com 6,7 mortes. Foram 53 óbitos no ano passado em confrontos com a polícia. A maioria dos registros no Amapá acontece em troca de tiros entre policiais e suspeitos de crimes armados. A Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que tomará ciência dos dados e se manifestará sobre os números nesta quarta-feira (10). O Amapá está entre os sete estados do país que apresentou queda na letalidade policial entre 2016 e 2017. As maiores reduções foram em Rondônia (-89%), Espírito Santo (-27,6%) e Rio Grande do Sul (19,9%). Anuário defende que as mortes são decorrentes de falhas na segurança Valdeí Balieiro/Arquivo Pessoal Para os especialistas, apesar de o policial ser responsabilizado, a estrutura é responsável pela letalidade. "O policial na ponta é o que puxa o gatilho, mas o sistema está sendo gerador de violência", disse durante o lançamento dos dados, Renato Lima, diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O 12º Anuário compila dados das polícias e das secretarias de todos os estados do país e é utilizado como dado oficial, já que o governo federal ainda não tem uma base de informações nacional. Homicídios e mortes Contabilizando todas as Mortes Violentas Intencionais (MVI), o Amapá teve aumento de 5,7% nos registros, saltando de 399 para 430 ocorrências, que incluem além da letalidade policial, dados de homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. "O crescimento da violência no país tem duas direções. Uma são as novas dinâmicas do crime organizado, agora, a outra, é a insistência da política pública de várias esferas e poderes, de continuar fazendo mais do mesmo", declarou o diretor do Fórum, Renato Sérgio de Lima, durante lançamento do anuário. Registros em 2017 comparados a 2016 Homicídios dolosos: 357 (+12%) Latrocínios: 17 (-16,6%) Lesões seguidas de morte: 8 (-39,7%) Mortes a esclarecer: 3 (-94,7%) Estupros: 397 (-13,5%) Armas apreendidas: 324 (-30,8) Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!
[ Ler matéria completa ]
Autor/Fonte: Globo.com

Brasil

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS