Menu
Atualizado em 15/08/2018 às 10h00

Durante reconstituição, adolescente suspeito de matar padrasto em Araxá muda versão e aponta outro envolvido

Vítima foi morta a facadas no Bairro São Geraldo, em julho deste ano. Além do adolescente, um homem está detido como suspeito do crime. Polícia Civil em Araxá faz reconstituição de homicídio no Bairro São Geraldo A Polícia Civil fez, nesta terça-feira (14), a reconstituição do homicídio de um homem de 34 anos que foi esfaqueado em julho deste ano no Bairro São Geraldo, em Araxá, no Alto Paranaíba. Estão detidos como suspeitos do crime o enteado da vítima, de 17 anos, e um amigo do adolescente, de 38. Durante a reconstituição, o adolescente, que havia confessado o homicídio logo no início das investigações, mudou a versão e apontou o amigo como sendo o autor do crime. De acordo com a Polícia Civil, essa nova informação muda o rumo das investigações. A reconstituição começou em um córrego, onde o menor teria jogado a faca utilizada no assassinato, mas o objeto não foi encontrado. O adolescente contou aos policiais que era constantemente ameaçado pelo padrasto. Então, ele e o amigo saíram de casa com um pedaço de pau e uma faca e foram até o quintal onde a vítima estava reunida com um grupo de homens. “Tanto o adolescente quanto o outro indivíduo alegam que a vítima era uma pessoa violenta, que ‘tocava o terror’ na vizinhança e que estaria praticando ameaças contra eles”, contou o delegado que investiga o caso, Vinícius Ramalho Lima. Na versão apresentada pelo menor, o homem foi chamado e, nesse momento, ele teria golpeado o padrasto na região do peito. Porém, logo após dar esta informação, o adolescente foi questionado pelos policiais e mudou a história, dizendo que quem teria esfaqueado a vítima foi o amigo dele. Em seguida, foi feita outra parte da reconstituição, desta vez, com o outro suspeito, o homem de 38 anos. Nesta versão, após a vítima ser esfaqueada, uma testemunha que tentou defendê-la também acabou sendo ferida, mas sem gravidade. “O adolescente veio [à reconstituição] instruído a mentir. Ele veio preparado para assumir toda a responsabilidade pelos dois crimes – o homicídio consumado e o tentado. Só que durante a reprodução simulada, ele voltou atrás e declarou que quem, de fato, teria deferido as facadas e praticado o crime seria o comparsa dele, de maior idade”, acrescentou o delegado. O advogado de defesa do homem de 38 anos alegou que agora é preciso entender os contextos do crime. “Se ele falou a verdade, por livre espontânea vontade, acho importante e acho que isso eventualmente vai ajudá-lo. Só que é preciso ver as circunstâncias do porquê o crime foi cometido”, disse Robson Magela.
[ Ler matéria completa ]
Autor/Fonte: Globo.com

Brasil

Notícias Relacionadas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS